terça-feira, 15 de agosto de 2006

Casa, Rio de Janeiro
(ufff)

É impressionante como somos adaptaveis quando a nescessidade é forte e imediata. Há um ano atrás, se me dissessem que eu teria que cuidar de um bebê, aos berros na maior parte do tempo, até ele dormir duas horas depois, eu provavelmente acharia que era piada. E se me dissessem ainda que eu teria que dar banho, remédio e mamadeira, trocar fraldas, brincar e andar pela casa até ele cair no sono; que eu seria o único adulto na casa; e que não, não se tratava de uma brincadeira, eu provavelmente estamparia uma marca em formato de Bruno na parede, no meu pânico de sair correndo.

O fato é que hoje o Gabriel estava irritadiço, e precisei fazer tudo isso para acalma-lo. Hoje acho esta tarefa algo perfeitamente normal, embora cansativa. Foi só quando me sentei de volta no computador que me dei conta de quão extraordinário é dar conta disto tudo, quando no passado muito recente eu não sabia nem segurar um bebê direito.

PS: Estou dando uma recauchutada no ml42. Em geral na base no ctrl-c/ctrl-z, uma maneira meio Frankenstein de criar uma página nova com pedaços de html semi-digeridos de diversas páginas pré-existentes. Mas dá para aprender alguma coisa.

Um comentário:

Mi disse...

Feliz dia dos pais (atrasado!)